30 de nov de 2010

Nerds - O Xango de Baker Street

Neste livro surpreeendente, Jô Soares alia uma rigorosa pesquisa historica sobre a vida no Rio de Janeiro do Segundo Reinaldo à sua inventidade sem fronteiras. Romance comico-policial, O Xango de Baker Street constitui uma engraça mistura de cenario muito preciso do passado – a capital do país por ocasião da primeira visita da legendaria atriz francesa Sarah Bernhardt –, figuras conhecidas da historia politica e cultural do país, como Olavo Bilac, Chiquinha Gonzaga, Paulo Nei, D. Pedro II, e personagens de ficção – Sherlock Holmes e o indefectivel Dr. Watson –, importados para desvendar o desaparecimento inconveniente de um violino Stradiavarius que que deixara o imperador em palpos de aranha. Mas as ilustres criaturas de Conan Doyle acabaram sendo  requisitados para solucionar uma serie de crimes hediondos e enigmaticos. O resultado é um livro delicioso, em que as modas e os custumes da capital imperial no seculo passado vêm acompanhadas de algumas suposiçoes mais ousadas, com, por exemplo, a de o Brasil ser o berço do primeiro serial killer da historia. Por sua vez, o texto vai do jocoso dos dialogos e da gozação do francesismo brasileiro de então ao hilariante de diversas cenas, revelaçoes estarrecedoras sobre a vida alimentar, farmacolohgica e sexual do famoso detetive da rua Baker. O sherlock de Jô descobrirá as delicias sensuais dos tropicos, aprenderá alguns costumes nativos, exercera seus brilahntes dotes dedutivos (para espanto e incredulidade), mas sera obrigado a adimitir que os crimes abaixo do Equador não são tão elementares, meu caro leitor

Eu me apaixonei pelo texto de comtra capa do livro, acho que deve ter sido umas abas mais bem escritas que eu ja vi. Algumas imformações que a aba não da é que o violino foi roubado da baronesa de Avare, Amante de D. Pedro ( a baronesa é uma personagem ficticia) e que a partir dai mulheres começaram a serem mortas e em todas elas foi encotrada uma corda de violino.

O livro é genial, durante o livro tem algumas sacadas – como a criação do termo serial Killer, a criação da caipirinha e no final a ligação entre o serial killer da historia e um certo serial killer ingles – que são genias, muito inteligentes mesmo.

Como eu nunca li nenhum livro do Lord Conan Doyle eu não posso dizer se o Holmes e o Watson mantem suas personalidades dos livros originais, mas o que eu posso afirmar é que o Sherlock do Jô é meio sem noção, meio Jack Sparrow da vida, o que torna as coisas mais engraçadas.

O livro é engraçado, empolgante, misterioso e acima de tudo inteligente, um perfeito livro de serial killer. E para quem gosta do genero Perfume – A histroia de um assasino e os livros da autora TESS GERRITSEN são super recomenados.

Ps: O filme sobre o livro O Xango De Baker Street é muito bom, por causa dele que eu começei a ler o livro. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário